TÁ CARO- Gasolina sobe quase 35% e diesel 37,68% nos postos de combustíveis de PVH

Levantamento feito pela UNIR também destaca que etanol subiu mais: 46,35%
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Segundo pesquisa mensal de preços de combustíveis realizado pelo curso de Economia da Universidade Federal de Rondônia (UNIR), divulgada nesta semana, o litro da gasolina comum teve um preço médio de R$ 6,08, com teve um aumento de 0,05% no mês de setembro em comparação com o mês de agosto.
Já no comparativo com o mês de setembro do ano passado, o preço da gasolina comum teve um aumento de 33,13%. No acumulado dos últimos 12 meses o preço do litro teve um aumento de 29,83%. Apenas neste ano, o preço do litro teve um aumento de 24,98%.
O diesel não ficou atrás e subiu mais do que a gasolina em um ano: 37,68%. O litro do teve preço médio de R$ 5,18, com aumento de 5,37% no mês de setembro em comparação com o mês de agosto.
No comparativo com setembro de 2019, o preço do diesel teve aumento de 43,83%. No acumulado do último ano o preço do litro teve uma alta de 37,68%. Apenas neste ano, a alta foi de 30,5%.
Já o etanol ficou mais salgado em um ano: 46,35% e teve valor médio de R$ 5,52 com aumento de 1,32% em setembro em comparação com agosto.
Na comparação com setembro de 2019, o preço teve elevação de 56,32%. No acumulado dos últimos 12 meses o preço do litro teve alta de 46,35%. No acumulado do ano de 2021 o preço do litro teve alta de 38,03%.
“A tendência é que o preço suba ainda mais, pois a política de preços da Petrobras é de manter os valores atrelados ao barril do petróleo em dólar. Esses custos de produção vão aumentar ainda mais, já que a economia mundial está voltando ao reaquecimento. Logo, a tendência é que a cotação do petróleo suba ainda mais”, disse o professor de economia da UNIR e coordenador da pesquisa mensal de preços, Jonas Cardoso.
Custo-benefício
O cálculo de custo-benefício entre os combustíveis demonstra que, pelos preços médios, o preço do etanol corresponde a 85,11% do preço da gasolina comum.
Nesse caso, o uso do etanol não é recomendado, a não ser que o custo-benefício seja abaixo de 70%. Levando-se em conta que o preço médio da gasolina comum é de R$ 6,08, então o preço do álcool deveria ser de, no máximo, R$ 4,26.
A análise do curso de economia da UNIR foi baseada nos dados disponíveis pela Agência Nacional do Petróleo (ANP), que faz a pesquisa nos postos de Porto Velho.
Fonte: rondoniaaovivo

Deixe um comentário

No data was found
Lat. 02 – RADIO
Lateral 03 – Nov. Azul Radio
%d blogueiros gostam disto: