PF investiga Diego Costa, do Atlético-MG, por suposto envolvimento em apostas

Atacante é alvo de operação que apura prática de lavagem de dinheiro e exploração de jogos de azar
Facebook
WhatsApp
Twitter

O atacante do Atlético Mineiro, Diego Costa, é alvo da “Operação Distração”, que está sendo realizada pela Polícia Federal de Sergipe, estado natal do jogador. Em nota, a PF afirma que foi constatada a “participação de um jogador de futebol que, supostamente, é o financiador do esquema criminoso”.

A operação, que teve início em 2019 e conta com a participação da Receita Federal, investiga os proprietários, operadores financeiros e financiador do site de apostas “ESPORTENET”, por suposta prática de exploração de jogos de azar, lavagem de dinheiro, evasão de divisas e organização criminosa.

A 6ª Vara Federal de Itabaiana expediu 7 mandados de busca e apreensão. Em Sergipe, foram 2 em Itabaiana, outros 2 em Simão Dias e 1 em Lagarto, cidade de Diego, que estreou no Atlético Mineiro em 19 de agosto de 2021. Os outros 2 mandados são em Salvador (BA) e em São Paulo capital. Nesta fase da investigação, o foco está nos doleiros e no financiador do site, apontado como sendo Diego, segundo o portal ge.

Na 1ª fase da operação a PF apreendeu R$ 13 milhões e cumpriu 12 mandados de busca e apreensão e de sequestro de bens. À época, a quantia foi considerada a maior apreensão em dinheiro feita no estado.

Eis a íntegra da nota divulgada pela PF:

“A Polícia Federal deflagrou nesta quinta-feira, 30/9, a segunda fase da Operação DISTRAÇÃO, com o objetivo de obter provas para investigação que apura suposta prática de exploração de jogos de azar, lavagem de dinheiro, evasão de divisas e organização criminosa envolvendo um site de apostas, seus proprietários, operadores financeiros e financiador.

Estão sendo cumpridos 7 mandados de busca e apreensão: 2 em Itabaiana/SE, 1 em Lagarto/SE, 2 em Simão Dias/SE, 1 em Salvador/BA e 1 em São Paulo/SP. Os mandados foram expedidos pelo Juízo da 6ª Vara Federal de Itabaiana/SE. Também estão sendo cumpridos mandados de sequestro de bens pertencentes aos envolvidos no esquema criminoso.

Na primeira fase da operação, deflagrada em 3/3/2021, foram apreendidos documentos e equipamentos eletrônicos que permitiram o aprofundamento da investigação e a quantia de mais de R$ 13 milhões em espécie.

Com base nas provas coletadas, foi possível identificar outras plataformas de aposta utilizadas pelo grupo e empresas físicas e pessoas jurídicas utilizadas para lavagem de dinheiro e evasão de divisas.

Além disso, foi constatada a participação de doleiros, que auxiliam a organização criminosa no processo de evasão de divisas, bem como a participação de um jogador de futebol que, supostamente, é o financiador do esquema criminoso.

Nesta fase, a investigação está concentrada no processo de evasão de divisas, com foco nos doleiros e no financiador do site de apostas.”

Fonte: Poder360

Deixe um comentário

Imaral – lateral 01 – CPU
Smart Andrade – lat 02 – CPU
IMARAL – Laterall 03 – GIF – ANIVERSARIO
%d blogueiros gostam disto: