Pará, Amazonas e Mato Grosso somam 60% das queimadas de agosto; Pantanal é bioma mais afetado

Mesmo que a Amazônia tenha um número absoluto maior de focos de calor, o bioma pantaneiro é o mais atingido proporcionalmente por ter uma área 36 vezes menor. Veja os dados das queimadas por estado do Brasil.
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter

ParáAmazonas e Mato Grosso são os estados com o maior número de focos de fogo detectados pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) em agosto deste ano. Juntos, eles representam 60% das queimadas do mês. A Amazônia é o bioma que registrou a maior quantidade de pontos de calor, mas, em comparação, o Pantanal é o mais afetado: ele tem uma área 36 vezes menor, mas só 5 vezes menos fogo.

Queimadas de 1º a 17 de agosto, no Brasil:

 

  • Pantanal tem 3.279 pontos de calor; Amazônia tem 16.763; e o Cerrado, 4.821;
  • Amazônia tem 5,5 milhões de km² – área 36 vezes maior que a do Pantanal (150 mil km²) e quase três vezes maior do que a do Cerrado (1.910.000 km²);
  • Neste mês, as cinco cidades com mais focos de calor são: Altamira (PA), São Félix do Xingu (PA), Corumbá (Mato Grosso), Novo Progresso (Pará) e Poconé (Mato Grosso);
  • Em comparação com o período de 1º a 17 de agosto de 2019, o Pantanal apresenta uma alta de 231% nos registros de queimadas do Inpe; a Amazônia tem uma queda de 14%, mas, exceto o ano passado, é o maior número desde 2010.
  • Pará, Amazonas e Mato Grosso concentram o maior número de focos no mês: 7.589, 4.786 e 4.430, respectivamente. Os três estados também são os mais afetados desde 1º de janeiro.

 

Queimadas por estado do Brasil em agosto — Foto: Carolina Dantas/G1

Queimadas por estado do Brasil em agosto — Foto: Carolina Dantas/G1

Os focos de calor são detectados por satélites monitorados pelo Inpe. O Aqua, de referência, também é utilizado pela agência espacial americana (Nasa) e “apresenta dificuldades técnicas desde 16 de agosto”. O instituto, para minimizar o impacto nos dados, passou a usar os dados que chegam diretamente nas antenas do Inpe, localizadas em Cuiabá (MT) e em Cachoeira Paulista (SP). Por isso, os números nestes dois últimos dias podem estar prejudicados nos estados do Amapá, Roraima, Rondônia, Acre e também no norte do Amazonas.

FONTE: G1

Deixe um comentário

No data was found
No data was found
No data was found
%d blogueiros gostam disto: