Maior preparação, precaução, esperança: Clubes rondonienses opinam sobre adiamento do Estadual

O ge.globo/ro entrou em contato com os oito integrantes do campeonato para saber cada posição
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter

Os clubes haviam pedido por ofício o adiamento do Campeonato Rondoniense 2021 para abril. A Federação Rondoniense de Futebol decidiu por atrasar 15 dias e iniciar a competição em 28 de março. No documento, sete clubes assinaram o pedido de mudança de mês. Apenas o Guaporé foi favorável ao início na data inicial. Dada a situação, o ge.globo/ro entrou em contato com as equipes que estarão na disputa devido à transferência de data mas não da mesma maneira conforme eles haviam solicitado.

O presidente do Barcelona de Vilhena, Zé Luiz, foi enfático. A situação dos hospitais conjuntamente à uma competição pode ser ruim, principalmente, caso um atleta adoeça.

– Já melhorou um pouco. Esse vírus tem que pelo menos diminuir o contágio. Hoje se adoecesse algum atleta hoje, não teria vagas nos hospitais – frisou o presidente.

 

O presidente do Rondoniense SC, Antônio Tadeu de Oliveira, disse que se a situação não melhorar. Em 15 dias, será necessária a reavaliação da situação.

– Achei uma decisão acertada pelo momento de incerteza que vive o país e, principalmente, nosso estado. Ainda há uma evidencia muito grande em não poder estar se aglomerando. E, por mim, se continuar, deve se adiar novamente. Sou favorável que se aconteça isso, quantas vezes necessárias. Vida em primeiro lugar – frisou.

No Porto Velho, atual campeão, quem falou foi o presidente Jeanderson Maranhão. A equipe estava em preparação no estado e irá disputar o Campeonato Amazonense enquanto a disputa não começa. Ele afirmou estar disposto às medidas que forem beneficiar o futebol local e à saúde dos atletas.

– Tudo que for para melhorias da competição é que for ajudar o futebol do estado pode contar com o Porto Velho – afirmou Maranhão.

Já Wesley Dias, presidente do União Cacoalense, afirmou que a mudança não foi totalmente a ideal mas já é um avanço que pode colaborar na mudança do cenário.

– Nós gostaríamos que se fosse para abril. Mas já ajuda final de março – disse ele.

Para Evaldo Silva, o ganho desportivo será interessante. Isso porque o clube poderá iniciar a própria preparação no final do mês.

– Ao menos poderemos ter esperanças para iniciar os treinos no final de fevereiro. Mas isso, dependendo das condições quanto ao problema da pandemia – pontuou.

Ji-Paraná e Real Ariquemes foram no mesmo caminho. Através de assessoria de imprensa, ambas as equipes citaram a probabilidade de chegarem ainda mais inteiros na competição com uma preparação mais longa. No caso do Galo da BR, os atletas chegarão ao clube na próxima semana.

Contrário ao ofício, no Guaporé quem falou foi a gerente de futebol do clube, Viviane Almeida. Ela afirmou que a equipe entende a situação mas atrapalha o cronograma montado para a competição.

– Não ficamos satisfeitos porque não assinamos. Nós gostaríamos que se cumprisse o arbitral. Porém, somos conscientes do momento que o país está passando. Não temos autorização do governo para trabalhar e portanto entendemos. A gente fica um pouco triste quanto ao arbitral. Sabemos porém do momento que vivemos. E da necessidade de cuidar tanto das questões psicológicas e físicas dos atletas que estão sob nossa responsabilidade. Por isso estamos fazendo todas as medidas e os protocolos exigidos para proteger nossos atletas. Vamos acatar – afirmou ela.

FONTE: GE RO

Deixe um comentário

CPU, LATERAL, ANUNCIE AQUI
No data was found
No data was found
%d blogueiros gostam disto: