Família inteira é assassinada por coiotes que receberam 9 mil dólares por travessia ilegal para os EUA

Eles acreditavam que estavam sendo transportados por coiotes de El Salvador para os Estados Unidos, mas na verdade foram levados a um terreno baldio e mortos.
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter

Quatro membros de uma família de imigrantes, incluindo um menino de sete anos, foram assassinados por coiotes ao tentar a travessia ilegal para os Estados Unidos pela fronteira com o México.

Eles acreditavam que estavam sendo transportados por traficantes de seres humanos, conhecidos popularmente como coiotes, de El Salvador para os Estados Unidos, mas na verdade foram levados a um terreno baldio e mortos.

A Polícia prendeu quatro suspeitos, que compareceram na quinta-feira passada pela primeira vez a um tribunal de La Libertad, município do litoral salvadorenho. A Procuradoria Geral da República (FGR) daquele país acusa-os de homicídio qualificado e fraude.

Segundo a investigação, o autor dos homicídios é Saúl Ernesto Molina González. Já Óscar Armando Portillo Martínez teria se feito passar por coiote. Seus cúmplices são Denis Vladimir Aguilar Yanes e José Sixto Gómez, que teriam colaborado para ocultar provas.

As vítimas foram identificadas como Medardo Enrique Tejada Portillo, Yeni Selena Dubon Peñas, Ana Francisca Domínguez de Zelaya e um menor de sete anos.

A Promotoria assegura que Molina González recebeu uma remessa de 9.000 dólares de uma imigrante residente nos Estados Unidos, que só foi identificada como “Senhora Peña”. Ela é a mãe de Dubón Peña e avó da criança assassinada. A transferência foi o pagamento para transportar sua família para os Estados Unidos.

Eles foram chamados a um posto de gasolina no departamento de Chalatenango em 9 de outubro para iniciar a falsa jornada para o norte. “As vítimas, a bordo do veículo em que deveriam partir, foram transferidas para um terreno rústico localizado no cantão de San Rafael, em La Libertad, onde foram assassinadas”, descreve a FGR em nota.

No dia seguinte, uma ligação para o serviço de emergência 911 alertou para a descoberta de quatro corpos. Não foi revelado por que esses indivíduos decidiram tirar suas vidas, em vez de apenas enganá-los.

Aumento da imigração ilegal

Esses crimes ocorrem quando as prisões de imigrantes na fronteira dos Estados Unidos com o México quebram todos os recordes. Milhares de pessoas da América Central continuam a chegar na região de fronteira, apesar de o governo Joe Biden manter as duras medidas implementadas pelo governo Trump.

No ano fiscal de 2021, que terminou em 30 de setembro, a Patrulha de Fronteira deteve 1,7 milhão de pessoas, quase o triplo do número de apreensões que fez no período anterior e mais do que em qualquer outro ciclo em três décadas. A maioria veio de El Salvador, Guatemala e Honduras. Com informações do canal Univision.

Imagem

Fonte: Gazeta News

Deixe um comentário

No data was found
lateral02  -Arjore
Lateral3 – Feliz Ano Novo – Rádio
%d blogueiros gostam disto: