Enxame de abelhas ataca e mata animais em Porto Velho; dono sobrevive

Homem disse que chegou a passar mal e desmaiou após o ataque. Biólogo alerta para os cuidados necessários nesses casos; veja como se proteger.
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter

Animais morreram recentemente após serem atacados por um enxame de abelhas em uma casa Porto Velho. O dono dos bichos também foi vítima do ataque, mas sobreviveu. “Passei bem mal, não conseguia respirar, fiquei desmaiado”, disse. O homem chegou a ser levado a uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da cidade.

Segundo o dono dos animais, as abelhas saíram do quintal da casa do vizinho. Disse ainda que o enxame apareceu após o homem ir ao quintal da residência, onde atacaram ele, a esposa, além do dono dos bichos.

“Meu galos e minhas galinhas estão mortos. No meu quintal tem mais pato morto. Minha cadela sangrou, sangrou até morrer. Meus patos, cachorro, consegui salvar dois e dois morreram”, explicou.

De acordo com o biólogo Flávio Terassini, a predominância das queimadas nessa época do ano que acaba afetando as florestas e as abelhas que, consequentemente, seguem para a área urbana da cidade.

“Múltiplas picadas tem um envenenamento muito grave e podem levar à óbito”.

“Todos os anos, no nosso país, uma média de cinco pessoas vão a óbito, principalmente pela abelha africanizada, que é essa inclusive chamada de abelha assassina”, explicou.

O especialista cita ainda que, em casos como esse, o ideal é chamar um apicultor, pois o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) ou a Polícia Militar Ambiental (PMA) não têm equipamentos necessários para fazer a retirada das abelhas. “Também não é indicado as pessoas tentarem retirar”, complementou.

O que fazer?

Para evitar problemas, o Ministério da Saúde recomenda:

  • A remoção das colônias de abelhas situadas em lugares públicos ou residências deve ser efetuada por profissionais devidamente treinados e equipados, preferencialmente à noite ou ao entardecer, quando os insetos estão calmos;
  • Evite se aproximar de colmeias de abelhas africanizadas Apis mellifera sem estar com vestuário e equipamento adequados (macacão, luvas, máscara, botas, fumigador, etc.);
  • Evite caminhar e correr na rota de vôo das abelhas;
  • Barulhos, perfumes fortes, desodorantes, o próprio suor do corpo e cores escuras (principalmente preta e azul-marinho) desencadeiam o comportamento agressivo e, consequentemente, o ataque de abelhas;
  • Sons de motores de aparelhos de jardinagem, por exemplo, exercem extrema irritação em abelhas. O mesmo ocorre com som de motores de popa;
  • No campo, o trabalhador deve ficar atento para a presença de abelhas, principalmente no momento de arar a terra com tratores.

Por que as abelhas atacam?

Segundo o Ministério da Saúde, o ferrão dos abelhas, vespas e formigas (himenópteros sociais) exerce um papel essencial para a defesa de suas colônias. As abelhas geralmente formam sociedades com apenas uma rainha, vários zangões e operárias, sendo estas as responsáveis pelas picadas.

O órgão cita que ao atacar nas proximidades de um enxame, as primeiras abelhas liberam um feromônio que faz com que outras invistam contra o mesmo alvo, podendo ocasionar em um acidente com centenas de picadas.

Deixe um comentário

CPU, LATERAL, ANUNCIE AQUI
LATERAL 02 – C.ALIANÇAS
No data was found
%d blogueiros gostam disto: