Ele alegou que, como produtor rural, tem direito de participar do programa municipal

Em seu depoimento na PF, Wilsão alegou que, como produtor rural, tem direito de participar do programa municipal que atende a categoria através de serviços feitos com o maquinário oficial
Facebook
WhatsApp
Twitter
O Folha confirmou que, após ser preso em flagrante, o prefeito de Ministro Andreazza, Wilson Laurent, o “Wilsão”, do Podemos, foi conduzido para a Delegacia da Polícia Federal na cidade de Ji-Paraná, na tarde de sexta-feira, 27.
O mandatário, que disputou a reeleição e perdeu para o oposicionista Milla da Agricultura (PSD), é acusado de ter autorizado a utilização de maquinário da prefeitura em seu próprio sítio. Além de uma retroescavadeira, uma pá carregadeira e um caminhão, funcionários municipais foram encontrados trabalhando na propriedade do prefeito.
Em seu depoimento na PF, Wilsão alegou que, como produtor rural, tem direito de participar do programa municipal que atende a categoria através de serviços feitos com o maquinário oficial.
A PF aceitou em parte o argumento, mas lembrou que, além de nenhum outro munícipe ter o privilégio de autorizar o serviço que atende a si mesmo, o prefeito também não recolheu antecipadamente a taxa de R$ 300,00, exigida de quem reinvindica obras através do programa, como prevê lei municipal. Só quitou o valor após a chegada da PF.
Assim, Laurent teve que pagar R$ 20 mil de fiança para ser liberado. O inquérito da PF instaurado contra ele será enviado ao Tribunal de Justiça de Rondônia, uma vez que o acusado tem foro especial até o dia 31 de dezembro.
O episódio não é de atribuição da Polícia Federal, mas como a denúncia chegou até a corporação, os agentes da instituição não se furtaram em agir.
O Folha não conseguiu contato com o prefeito preso, mas concederá o mesmo espaço para ele se manifestar em relação às acusações, caso queira.

Deixe um comentário

famacia da farmilia anigif
Sequência 01_1
No data was found