Brasil vence o México e disputará o bi olímpico

A final das Olimpíadas será no sábado (7), às 8h30, no Estádio Internacional de Yokohama, contra Japão ou Espanha
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – A seleção brasileira se classificou para a final do futebol masculino nas Olimpíadas de Tóquio-2020. Nos pênaltis, o Brasil venceu o México por 4 a 1. No tempo regulamentar e na prorrogação, a partida terminou empatada em 0 a 0. O jogo foi realizado em Kashima, no Japão.

Agora, o Brasil tentará o bicampeonato olímpico consecutivo. No futebol masculino, apenas Grã-Bretanha (1908 e 1912), Uruguai (1924 e 1928), Hungria (1964 e 1968) e Argentina (2004 e 2008) atingiram esse feito.

Na outra semifinal, o Japão enfrenta a Espanha a partir das 8h (de Brasília), em Saitama.

A disputa do ouro será no próximo sábado, às 8h30 (horário de Brasília), em Yokohama.
Brasil e México já decidiram o futebol olímpico. Em Londres-2012, os mexicanos venceram os brasileiros por 2 a 1 e ganharam o ouro inédito. Quatro anos depois, a seleção brasileira conquistou o ouro pela primeira vez ao derrotar a Alemanha nos pênaltis (5 a 4), após empate em 1 a 1 no tempo regulamentar.

Para esta partida, o técnico André Jardine manteve o Brasil no esquema 4-3-3, substituindo o lesionado Matheus Cunha por Paulinho. Já o treinador Jaime Lozano, do México, também armou a equipe no 4-3-3. Com esquema ofensivo, o time mexicano realizava marcação alta, dificultando a saída de bola da seleção brasileira.

Aos poucos, o Brasil foi se mostrando mais incisivo, obrigando o México a se retrair. O time brasileiro ameaçava o gol, com finalizações dos laterais Guilherme Arana e Daniel Alves, em duas cobranças de falta. Velho conhecido dos brasileiros, o goleiro Ochoa, 36, mostrava segurança.

O México, por sua vez, chegou com perigo no final do primeiro tempo, aos 41minutos, com ótimo chute de Romo, para boa defesa de Santos, que espalmou para escanteio.

Na segunda etapa o jogo ficou amarrado, com muitas faltas e nervosismo das duas equipes. Jardine tentou melhorar a movimentação no ataque, com a entrada de Gabriel Martinelli e Reinier. Mas a melhor chance aconteceu com dois titulares. Aos 36 minutos, Daniel Alves cruzou da direita e Richarlison cabeceou na trave. No rebote, o Brasil não conseguiu aproveitar.

Sem gols no tempo regulamentar, a partida foi para a prorrogação. Para o tempo extra, Malcom substituiu Antony.

O Brasil manteve a posse de bola, com 56% em toda a partida, mas foi pouco efetivo. Com o jogo amarrado no meio de campo, os times criaram poucas chances de gol. O placar sem gols foi mantido.

Na disputa de pênaltis, o Brasil acertou com Daniel Alves, Gabriel Martinelli, Bruno Guimarães e Reinier. Já o México converteu a cobrança de Rodríguez. Aguirre (defesa de Santos) e Vásquez (na trave) perderam para os mexicanos. Brasil classificado.

MÉXICO
Ochoa; Loroña, César Montes, Johan Vásquez e Jesús Angulo (Adrian Mora, aos 7/1ºT da prorrogação); Esquivel (Carlos Rodríguez, no intervalo), Luis Romo e Córdova (Ricardo Angulo, aos 32/2ºT); Antuna (Diego Lainez, aos 16/2ºT), Alexis Vega (Alvarado, aos 46/2ºT) e Henry Martin (Eduardo Aguirre, aos 7/1ºT da prorrogação). T.: Jaime Lozano

BRASIL
Santos; Daniel Alves, Nino, Diego Carlos e Guilherme Arana; Douglas Luiz (Matheus Henrique, aos 9/2ºT da prorrogação), Bruno Guimarães e Claudinho (Reinier, aos 27/2ºT); Antony (Malcom, entre o tempo normal e a prorrogação), Paulinho (Gabriel Martinelli, aos 21/2ºT) e Richarlison. T.: André Jardine

Local: Estádio Kashima, em Kashima (Japão)
Juiz: Georgi Kabakov (Bulgária)
Cartões amarelos: César Montes, Diego Lainez, Henry Martín, Loroña, Luis Romo (México); Diego Carlos, Antony, Bruno Guimarães, Reinier, Douglas Luiz (Brasil)

Deixe um comentário

CPU, LATERAL, ANUNCIE AQUI
LATERAL 02 – C.ALIANÇAS
No data was found
%d blogueiros gostam disto: